sexta-feira, 14 de julho de 2017

Mato Hoje, Morro Amanhã

Depois de passar cinco anos numa cadeia por um crime que não cometeu, o rancheiro Bill Kiowa (Brett Halsey) é finalmente libertado. Cumpriu finalmente toda a sua pena. Na saída da prisão ele é perguntado o que sente nessa hora. Sua resposta: "Eu não sinto nada! Apenas ódio!". E é justamente esse ódio que vai mover suas atitudes dali em diante. Ele quer matar o homem que o colocou atrás das grades, um assassino e assaltante conhecido como "El Fuego". O problema é que esse criminoso não está só. Ele comanda uma grande quadrilha que vive de roubar e matar passageiros de diligências. Apenas com outro grupo de pistoleiros Kiowa conseguirá vencê-lo. Assim ele começa a recrutar seus homens, sujeitos conhecidos por causa de suas habilidades com as armas.

Esse western spaghetii chamado "Mato Hoje, Morro Amanhã" sempre foi muito elogiado pela crítica, principalmente por causa de seu bom roteiro. A explicação para isso tem nome: Dario Argento. O mestre dos filmes de terror deu uma pausa em sua carreira e resolveu escrever esse enredo e esse roteiro. Desde as primeiras cenas descobrimos como Argento era habilidoso como escritor. Ele utilizou os clichês do gênero e os manipulou como poucos, em seu proveito e em favor do filme como um todo. Pegando elementos de filmes diversos, inclusive alguns clássicos como "Sete Homens e um Destino" ele criou uma estória redondinha, sem falhas, que se fecha muito bem em si mesma. Para isso não faltaram os elementos que todos já conhecemos como a jornada de vingança, a união em prol de um objetivo comum e o duelo final. Nenhuma novidade para dizer a verdade, mas Argento soube como manter a atenção do espectador até o fim. Coisa de mestre realmente.

O elenco também é muito bom e interessante, a começar por Bud Spencer, um dos atores mais populares no Brasil. Com seu jeito bonachão, em contraste com seu corpanzil imenso, Spencer tinha muito carisma. Nos filmes que fez ao lado de Terence Hill havia muito mais espaço para o humor. Aqui ele ainda existe (como na cena da barbearia), porém seu personagem é um pouquinho mais sério. O astro do filme na verdade nem é Spencer, mas sim Brett Halsey que usou o pseudônimo de Montgomery Ford. Ele era bem parecido com Franco Nero e o uso de um figurino quase completamente semelhante ao de Django reforçou ainda mais essa semelhança. A diferença básica era que Brett era americano, ao contrário de Nero. Por fim uma informação curiosa: O filme no Brasil também é conhecido como "Hoje eu... Amanhã você!". Isso era comum de acontecer nos anos 60 e 70, quando as emissoras de TV mudavam os títulos dos filmes. Nos cinemas eles tinham recebido outro nome. Coisas de Brasil...

Hoje Eu... Amanhã Você / Mato Hoje, Morro Amanhã (Oggi a me... domani a te!, Espanha, Itália, 1968) Direção: Tonino Cervi / Roteiro: Dario Argento, Tonino Cervi / Elenco: Brett Halsey, Bud Spencer, Wayde Preston / Sinopse: Após passar anos na cadeia, Bill Kiowa (Brett Halsey) quer vingança contra o responsável por sua prisão e pela morte e estupro de sua esposa, uma jovem nativa. Para isso ele decide formar um grupo de pistoleiros e homens rápidos no gatilho. Ele quer saciar sua sede de ódio e justiça.

Pablo Aluísio.

10 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.9

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. O Bud Spencer é tão bom que é um dos poucos gordos que não faz papel de gordo no cinema, mas de super forte. Acho que fora ele só o John Goodman conseguiu o mesmo.

    Agora o que eu queria falar mesmo é dos nomes destes filme: são muito legais. Tem esse Mato Hoje, Morro Amanhã; Vou Mato e Volto; O Bom, O Mal e o Feio; Meu Ódio Será Tua Herança, etc. Tudo meio piegas, melodramático, mas muito bacana.

    ResponderExcluir
  4. Esses títulos de filmes de western spaghetti são impagáveis... haja imaginação para criá-los. Por falar em ser gordo, nesse filme tem uma cena muito engraçada em que o Bud Spencer está bebendo em um saloon e entra uns bandidos. Um deles diz: "Eu ouvi dizer que todo gordo é fedorento, imundo e fedorento". Bom, se você já assistiu algum spaghetii na vida já sabe o que vai acontecer não é mesmo? Bud Spencer distribuindo tapas e socos para todo mundo... rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Oh Pablo, você cometeu um deslize. Precisamos fazer justiça, pois o título "Hoje eu... Amanhã você!" é uma tradução corretíssima do título original italiano, coisa que nos dois sempre cobramos em outros filmes.

    O título "Mato Hoje, Morro Amanhã" é que é uma daquelas invencionices brasileira.

    ResponderExcluir
  8. Obrigado pelas observações Serge.

    Para completar a informação o título "Mato Hoje, Morro Amanhã" foi usado nos cinemas e "Hoje eu... Amanhã você!" foi usado na TV. Esse filme foi bastante exibido na Record e na Bandeirantes, durante os anos 70 e 80.

    ResponderExcluir
  9. Beleza. Essa cena que você descreve é muito parecida com diversas que eu veria em filmes da serie Trinity e são sempre muito divertidas. Eu vi e revi todos os filmes do Trinity e agora que achei esse Mato Hoje, Morro Amanhã no You Tube vou assisti-lo.

    ResponderExcluir
  10. Boa ideia... Assista ao filme e depois deixe suas impressões aqui.

    ResponderExcluir